O contexto pandêmico no brasil e o reflexo na educação inclusiva

Autores/as

DOI:

https://doi.org/10.24265/iggp.2022.v9n1.07

Palabras clave:

pandemia, educação inclusiva, Brasil

Resumen

No momento atual e atípico de pandemia pelo COVID 19, os processos de aprendizagem modificaram, não havendo mais contato presencial. Alunos com deficiência necessitam de suporte educacional e a problematização encontra-se em como é ofertado todo suporte necessário para haver inclusão. Deste modo, este estudo, trata-se de uma pesquisa qualitativa de cunho descritivo e caracteriza-se como uma pesquisa bibliográfica.de e tem como norte as seguintes inquietações: No isolamento social, como os alunos considerados diferentes estão sendo educados? Existem impactos socioeducacionais neste contexto? A educação inclusiva é percebida durante a pandemia?  O objetivo deste estudo é verificar como a pandemia pelo COVID 19 no Brasil reflete na educação inclusiva. Dentre os achados importantes encontrados neste momento de pandemia, é demonstrada a importância da análise e da indispensabilidade de políticas públicas voltadas à desigualdade econômica e social no âmbito da escola básica, pressupondo a necessidade de ações efetivas para que ocorra a educação inclusiva. A gestão educacional e o amparo dos professores são fundamentais para a conquista da equidade nas relações educacionais durante e após a pandemia. Foi possível observar que é essencial aumentar as alternativas governamentais com recursos para disponibilizar tecnologias para todos alunos, bem como deve ser preconizada a capacitação de professores.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.

Citas

Abramowicz, A. (2020). Educação após-auschwitz revisitada em tempos de pandemia. Cadernos da Pedagogia, v. 14, n. 29.

Abmes. COVID-19 vs. (2020). Educação Superior: O que pensam os alunos e como sua IES deve se preparar? Relatório de pesquisa - onda 2. EducaInsights.

Ainscow, M.; Booth, T. (2011). Index para a Inclusão: desenvolvendo a aprendizagem e a participação nas Escolas. 3 ed. Reino Unido: CSIE.

Alves, G. L.; Mamede, S. B. (2020). Quando uma pandemia expõe as limitações da escola e da Educação Ambiental formal. Revista Brasileira De Educação Ambiental (RevBEA), v. 15, n. 4, p. 175-189.

Amorim, H. R. (2017). Em tempos de guerra: Josué de Castro e as políticas públicas de alimentação no Estado Novo. CLIO: Revista de Pesquisa Histórica. 35:51-75.

Andifes. (2019). V Pesquisa do Perfil Socioeconômico e Cultural dos Estudantes de Graduação das Instituições Federais de Ensino Superior Brasileiras. Brasília.

Bardin, L. (2012). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70.

Brasil. (1998). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF.

Brasil (1961). Lei de Diretrizes e Base de 1961 - Lei 4024/61.

Brasil (2008). Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF, jan. 2008a. Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho nomeado pela portaria n. 555/2007, prorrogada pela portaria n. 948/2007, entregue ao ministro da Educação em 7 de janeiro de 2008.

Brasil. (2015). Lei n. 13.146, de 6 de julho de 2015. Lei Brasileira de Inclusão de Pessoas com deficiência. Brasília, DF.

Brasil. (2014). Lei no 13.005, de 25 de junho de 2014. Plano Nacional de Educação (PNE). Brasília, DF.

Brasil. (2016). Lei no 13.409, de 28 de dezembro de 2016. Lei de Cotas de Ingresso nas Universidades. Brasília, DF.

Brasil. (2019). Lei nº 13.844, de 18 de junho de 2019. Estabelece a organização básica dos órgãos da Presidência da República e dos Ministérios. Diário Oficial da União.

Brasil. (1971). Lei nº 5.692, de 11 de agosto de 1971.

Brasil. (2020). Ministério da Educação. Gabinete do Ministro. Portaria n. 329, de 11 de março de 2020. Institui o Comitê Operativo de Emergência do Ministério da Educação - COE/MEC, no âmbito do Ministério da Educação. Diário Oficial da União, ed. 49, seção 1, Brasília, DF, p. 165.

Brasil. (2009). Ministério da educação conselho nacional de educação câmara de educação básica resolução nº 5, de 17 de dezembro de 2009.

Brasil. (2020). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer homologado parcialmente cf. despacho do ministro, publicado no d.o.u. de 3/8/2020, Seção 1, Pág. 57.

Brasil. (2020). Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF. Disponível em: https://bit.ly/2QHGjyP. Acesso em: 04 ago. 2020.

Brasil. Parecer N°5 de 24 de abril de 2020. (2020). Conselho Nacional de Educação aprova Parecer que trata da reorganização do Calendário Escolar e da possibilidade de cômputo de atividades não presenciais para fins de cumprimento da carga horária mínima anual, em razão da Pandemia da COVID-19.

Cury, C. R. J., et. al. (2020). O Aluno com Deficiência e a Pandemia. Instituto Fabris Ferreira. Acesso em: ago 2020. Disponível em: https://cutt.ly/GYzdP3m

De Macedo, B. A. (2020). Inclusão e acessibilidade em tempos de pandemia. Pedagogia em Ação, v. 13, n. 1, p. 155-165.

Dias, J. A. et al. (2017). Políticas públicas de inclusão educacional: percepção dos/das estudantes com deficiência em relação ao acesso/permanência em um campus avançado da Universidade Federal de Uberlândia. 2017. 88 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Pedagogia) – Universidade Federal de Uberlândia, Ituiutaba.

Fundação Getúlio Vargas (2019). Desigualdade de renda no Brasil.

Freire, P. (2007). Educação e mudança. 30ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Freitas, B. E. C.; Burlandy, L. (2020). Desafios para a segurança alimentar e nutricional no contexto da pandemia do Covid-19. Chefe de gabinete: Rita Leal Paixão, p. 146.

Gerhardt, T. E., & Silveira, D. T. (2009). Métodos de pesquisa. Plageder. Porto Alegre: Editora da UFRGS.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas.

Gusso, H. L. et al. (2020). Ensino superior em tempos de pandemia: diretrizes à gestão universitária. Educação & Sociedade, v. 41.

Kortmann, G. M. L, & Ziliotto, Denise; Soares. (2018). Direitos Humanos e a Inclusão das Pessoas com Necessidades Educativas Especiais. In: Sarmento, D. F.; Menegat, J.; Wolkmer, A. C. (Orgs) Educação Em Direitos Humanos: dos dispositivos legais às práticas e educativas. Porto Alegre: CirKula.

Inep. (2019). Censo da Educação Superior 2017: notas estatísticas. Brasília: Inep/Ministério da Educação.

Marcon, K. (2020). Inclusão e exclusão digital em contextos de pandemia: que educação estamos praticando e para quem?. Criar Educação, v. 9, n. 2, p. 80-103.

Martins, G. D. F., Abreu, G. V.; Rozek, M. (2020). Conhecimentos e crenças de professores sobre a educação inclusiva: revisão sistemática da literatura nacional. Educação em Revista, Minas Gerais. v. 36.

Mendes, E. G. (2017). Sobre alunos" incluídos" ou" da inclusão": Reflexões sobre o conceito de inclusão escolar. Educação especial inclusiva: Conceituações, medicalização e políticas, p. 60-83.

Neto, J. A. (2020). Sobre ensino, aprendizagem e a sociedade da tecnologia: por que se refletir em tempo de pandemia?. Prospectus, v. 2, n. 1, p. 28-38.

Nóvoa, A. (2020). E agora, Escola? Jornal da USP. Disponível em: https://cutt.ly/vYzd2aj

Ornell, F. et al. (2020). Pandemia de medo e COVID-19: impacto na saúde mental e possíveis estratégicas. Revista debates in psychiatry.

Rodrigues, A. P. N.; Lima, C. A. (2017). A história da pessoa com deficiência e da educação especial em tempos de inclusão. Revista de Educação. Pernambuco, v. 3, n. 5.

Santos, B. S. (2020). A cruel pedagogia do vírus. Coimbra: Edições Almedina.

Schmidt, B. et al. (2020). Impactos na Saúde Mental e Intervenções Psicológicas Diante da Pandemia do Novo Coronavírus (COVID-19). Scielo Preprints.

Silva, D. S. V.; De Sousa, F. C. (2020). Direito à educação igualitária e(m) tempos de pandemia: desafios, possibilidades e perspectivas no Brasil. RJLB, ano 6. n.4.

Silva, L. et al. (2020). Educadores frente à pandemia: dilemas e intervenções alternativas para coordenadores e docentes. Boletim de Conjuntura (BOCA), v. 3, n. 7, p. 53-64.

Sipioni, M. E. et al. (2020). Máscaras cobrem o rosto, a fome desmascara o resto: COVID-19 e o enfrentamento à fome no Brasil. Scielo.

Unesco (2016). Declaração de Incheon e Marco de Ação da Educação. Rumo a uma educação de qualidade inclusiva e equitativa e à educação ao longo da vida para todos. Brasília.

Unesco (2020). COVID-19 Educational disruption and response. Paris: Unesco.

##submission.downloads##

Publicado

2021-12-26

Cómo citar

Pinkoski de Souza, M. ., Cristiano Habowski, A., Fossatti, P. ., & Susana Jung, H. . (2021). O contexto pandêmico no brasil e o reflexo na educação inclusiva. REVISTA GOBIERNO Y GESTIÓN PÚBLICA, 9(1), 109 - 124. https://doi.org/10.24265/iggp.2022.v9n1.07

Número

Sección

ARTICULO DE REVISIÓN